DGS alerta para fraca qualidade do ar devido a poeiras do Norte de África

Uma massa de ar proveniente dos desertos do Norte de África, que transporta poeiras em suspensão, está prevista atravessar Portugal Continental durante esta quinta-feira, dia 6, podendo manter-se na sexta-feira, dia 7.

Prevê-se a ocorrência de uma situação de fraca qualidade do ar no Continente, registando-se um aumento das concentrações de partículas inaláveis de origem natural no ar afectando, nomeadamente, as Regiões do Algarve, Alentejo e Centro. A ocorrência de precipitação nas regiões Centro e Sul atenuará as concentrações de poeiras na atmosfera. 

Estima-se que este fenómeno natural possa contribuir para um aumento das concentrações de partículas em suspensão (PM10) entre 05 a 20 µg/m3 no litoral das Regiões do Algarve e Alentejo e um aumento de PM10 entre 20 a 50 µg/m3 no interior das Regiões do Algarve, Alentejo e Centro. 

Este poluente (partículas inaláveis – PM10) tem efeitos na saúde humana, principalmente na população mais sensível, crianças e idosos, cujos cuidados de saúde devem ser redobrados durante a ocorrência destas situações. 

A Direcção-Geral da Saúde (DGS), em parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), irá continuar a acompanhar a situação. 

Mantendo-se esta previsão, a DGS recomenda:

– a população em geral deve evitar os esforços prolongados, limitar a actividade física ao ar livre e evitar a exposição a factores de risco, tais como o fumo do tabaco e o contacto com produtos irritantes.

– os seguintes grupos de cidadãos, pela sua maior vulnerabilidade aos efeitos deste fenómeno, para além de cumprirem as recomendações para a população em geral, devem, sempre que viável, permanecer no interior dos edifícios e, preferencialmente, com as janelas fechadas: crianças; idosos; doentes com problemas respiratórios crónicos, designadamente asma; doentes do foro cardiovascular.

– os doentes crónicos devem manter os tratamentos médicos em curso.

– em caso de agravamento de sintomas contactar a Linha Saúde 24 (808 24 24 24) ou recorrer a um serviço de saúde.

Para informação adicional sobre a qualidade do ar e os valores medidos nas estações de monitorização, pode ser consultada a página da internet da APA ou a App QualAr.

Publicidade