Publicidade

Um grupo de cidadãos portugueses está a promover a Jornada Memória e Esperança pelas vítimas da pandemia de Covid-19. A iniciativa terá lugar nos dias 22, 23 e 24 de Outubro e vai contar com a associação da Diocese de Portalegre-Castelo Branco.

Em comunicado, a Diocese explica que a organização solicitou à Conferência Episcopal Portuguesa que se junte «a esta iniciativa, através de um gesto simples mas de elevado significado», nomeadamente que durante três minutos se façam soar os sinos no maior número possível de igrejas, às 12 horas de sábado, dia 23.

Esta Jornada irá contar com o apoio do Presidente da República, que participará num dos eventos, da Assembleia da República, que tomará alguma iniciativa, bem como de outros responsáveis de várias comunidades religiosas.

«Como sabemos, a Conferência Episcopal Portuguesa já realizou uma celebração a nível nacional pelas vítimas da pandemia, no dia 14 de Novembro de 2020, em Fátima, com a presença do Presidente da República e do Primeiro-Ministro», refere a Diocese, lembrando ainda que foi «proposto pelo Conselho Permanente da Conferência Episcopal, que, durante a próxima Assembleia Plenária, que decorre de 8 a 11 de Novembro, uma das celebrações eucarísticas tenha essa intenção especial pelas vítimas da pandemia».

Assim, «porque a adesão, ou a não adesão, a esta iniciativa da sociedade civil está à responsabilidade de cada Diocese», entende o Bispo Diocesano, D. Antonino Dias, «que a Diocese de Portalegre-Castelo Branco deve aderir à mesma», apelando «aos responsáveis pelas Paróquias ou Comunidades Cristãs, esta acção de esperança, nesse dia e nessa hora, em memória das vítimas de Covid-19», bem como pede que se dê «a conhecer às comunidades cristãs este gesto como sinal da nossa esperança, incluindo até um momento de oração de sufrágio pelos que partiram e de acção de graças pelo dom da vida! Se a sensibilização não chegar previamente a todos, que no Domingo se dê uma explicação sobre este gesto de memória e esperança», refere o Bispo Diocesano em comunicado.

No site memoriaeesperanca.pt estão elencadas dezenas de actividades, como exposições, murais, entrevistas, plantação de árvores ou momentos musicais, dinamizadas por escolas, associações, autarquias, instituições de solidariedade social, organizações religiosas, entre outras, por todo o país. Também há iniciativas da comissão promotora, que exortam a população a acender velas e fazer exposições.