PUB

Numa cerimónia presidida pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, acompanhada pela secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes, e pela directora do Centro Distrital de Portalegre do Instituto da Segurança Social, Sandra Cardoso, decorreu ontem, dia 21, no auditório do Instituto de Emprego e Formação Profissional, a entrega dos Contratos de Comparticipação Financeira às instituições do distrito de Portalegre que viram a sua candidatura ao PARES 3.0 – Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais aprovada.

Foram oito os projectos contemplados, abrangendo 11 respostas sociais em várias tipologias – Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Serviço de Apoio Domiciliário, Centro de Dia, Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão e Lar Residencial, com um total de 382 lugares intervencionados. A aprovação destes projectos representa, para o distrito de Portalegre, um investimento total de cinco milhões e 371 mil euros, correspondendo a um investimento público de cerca de três milhões e 690 mil euros.

De acordo com a ministra, a terceira geração deste Programa vem «consolidar a sua relevância enquanto instrumento de desenvolvimento social no domínio concreto do alargamento e qualificação de respostas sociais, cuja exigência, em crescendo, no domínio da qualidade e modernização, permite assegurar uma melhoria dos equipamentos sociais»

PUB

Com foco naquelas que são as necessidades e o bem estar dos indivíduos e famílias que delas diariamente beneficiam, contribui «para uma sociedade mais inclusiva, promovendo e protegendo os direitos daqueles que se encontram numa situação de maior vulnerabilidade, contribuindo ainda para o incremento do emprego num sector preponderante, como é o sector social e solidário».

O concurso ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamento Sociais 3.0 teve 371 candidaturas aprovadas e abrange 658 respostas sociais, com um investimento total de 393 milhões de euros.

PRR: Governo vai lançar avisos para creches, apoio domiciliário e radar social

O Governo vai lançar vários avisos no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para creches, apoio domiciliário e radar social, anunciou a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

Os serviços do Ministério estão a preparar o lançamento de um novo aviso dedicado ao alargamento das creches, para que «as crianças tenham igualdade de oportunidades, independentemente «do meio e das condições económicas em que nasçam».

O aviso será «focado essencialmente em projetos de reconversão de espaços existentes», «em vez de multiplicar nova construção» usando, «por exemplo, instalações de pré-escolar que não está a ser usado».

Vai ser lançado um aviso do PRR para novas respostas para o combate ao isolamento e outro para o Apoio Domiciliário 4.0.

O Apoio Domiciliário 4.0 pretende «qualificar cada vez mais o apoio domiciliário com recursos digitais e tecnológicos, procurando responder melhor às pessoas».

E vai também «lançar um aviso dedicado ao Radar Social», um programa para criação de equipas de identificação e acompanhamento de pessoas que estão em situação mais vulnerável, sejam pessoas idosas, sejam pessoas com deficiência, de forma a encontrar respostas personalizadas e adequadas a cada situação.

Será criada uma equipa por cada concelho «para sinalização de pessoas que estão em situação de isolamento e integração e acompanhamento na rede», disse.