PUB

Alpalhão é terra de generais mas mesmo não sendo militar, Maria Helena Carreiras é a primeira mulher a ser ministra da Defesa, ocupando assim o terceiro lugar na hierarquia do novo Governo.

A ministra alpalhoeira foi nascer a Portalegre em 1965, mas tal como a sua irmã cresceu em Alpalhão e andou na escola onde os seus pais eram professores: Isidro Carreiras, de Alpalhão, e Isabel Chaves, de Nisa.

Pouco depois do 25 de Abril o pai abandonou a docência e foi para Tomar trabalhar numa companhia de seguro, tendo-se a família radicado na cidade dos Templários onde Maria Helena cresceu, mas a presença de todas era assídua nas épocas festivas em Alpalhão.

PUB

Com a idade já mais avançada, os pais vêm a Alpalhão com intervalos mais dilatados.

Especialista em Sociologia Militar e da Defesa

Maria Helena Chaves Carreiras é licenciada em Sociologia pelo ISCTE, onde é professora, sendo directora do Instituto de Defesa Nacional (IDN) desde 2019. Foi a primeira mulher a desempenhar tal cargo, que agora deixa sem completar os cinco anos de mandato.

A nova ministra doutorou-se em Ciências Sociais e Políticas em Florença, no Instituto Universitário Europeu, e enquanto professora do ISCTE é directora da sua Escola de Sociologia e Políticas Públicas. Foi também sub-directora do CIES – Centro de Investigação e estudos de Sociologia, e do IPSS – Instituto para as Políticas Públicas e Sociais.

A doutora Maria Helena Carreira tem uma ampla obra publicada e é reconhecida especialista em Sociologia Militar e Defesa.