PUB

A Ponte Internacional sobre o Rio Sever, que vai ligar Montalvão a Cedillo, vai ser uma realidade em 2025. Foi com esta convicção que decorreu na terça-feira, na sede da Presidência da Extremadura, em Mérida, mais uma reunião de trabalho entre representantes portugueses e espanhóis.

A reunião, realizada a pedido da presidente da Câmara de Nisa, Idalina Trindade, serviu para debater a articulação das partes em torno do desenvolvimento da proposta de traçado, do projecto de execução da ponte e acessibilidades e da Avaliação de Impacte Ambiental (AIA).

A concretização deste sonho com mais de 30 anos é vista pelos autarcas de Nisa e Cedillo como de grande importância para ambos os territórios. De acordo com a rádio espanhola Cope, Idalina Trindade frisou que o seu desejo é «poder inaugurar a ponte antes do fim do mandato autárquico», em 2025, por forma a que «sirva de motor social, económico e turístico entre a duas regiões, que se deparam com problemas muito idênticos».

PUB

Já o alcalde de Cedillo, Antonio González, de acordo com a Cope, classificou este projecto como «uma reivindicação histórica e de sentido comum», lembrando que um acesso directo a Portugal através desta ponte «vai poupar mais de 200 quilómetros» de traçado, apesar das duas localidades estarem separadas por apenas 13 quilómetros.

Para além dos dois autarcas, a reunião contou ainda com as presenças, na comitiva portuguesa, de António Ceia da Silva presidente da CCDRA, de José Dinis Serra vice-Presidente da Câmara de Nisa, e do técnico superior Jaime Bizarro. Já a comitiva espanhola foi constituída pelo presidente da Junta da Extremadura, Dom Guillermo Vara, e do presidente da Diputación de Cáceres, D. Carlos Carlos.

Com um investimento de 9 milhões de euros, financiados pelo PRR, para a parte portuguesa, a Ponte Internacional sobre o Rio Sever vai beneficiar toda a região do Alentejo e da Estremadura, sendo um projeto considerado como fundamental para a valorização dos territórios do interior e para a coesão territorial e transfronteiriça, com impactos positivos na dinamização cultural, social e económica, de cooperação e emprego nos dois lados da fronteira. 

O projecto insere-se na Euro-região EUROACE, que abrange o espaço geográfico do Alentejo, Centro de Portugal e Estremadura espanhola, onde residem mais de três milhões de pessoas (6% da população peninsular). Este investimento vai permitir uma redução de 85 km na ligação entre Montalvão, no concelho de Nisa, e Cedillo. 

A concretização destes dois projetos em 2025 vai trazer uma melhoria às ligações rodoviárias destes territórios, assegurar maior proximidade a corredores de grande capacidade, bem como menores custos de contexto para quem vive e trabalha nestas regiões. 

Ao mesmo tempo, impulsiona a dinâmica socioeconómica na zona de fronteira entre Portugal e Espanha e facilita a partilha de serviços ou infraestruturas já existentes.