PUB

Após dois anos de interregno, provocados pela pandemia, os trilhos que outrora marcaram o Percurso do Contrabando do Café voltam a ser explorados no próximo sábado, dia 7, em homenagem aos antigos contrabandistas e a uma actividade que, durante largos anos, caracterizou o modo de vida da raia luso-espanhola.

Este ano, a caminhada promovida pelo Município de Marvão, com o apoio do Ayuntamiento de Valencia de Alcántara, tem um traçado um pouco diferente do habitual, com cerca de 9 km de extensão total, com grau de dificuldade média e desnível acumulado de 255m, mas continua a passar pelos velhos trilhos do contrabando e por localidades historicamente ligadas a esta temática, como Galegos, La Fontañera e Pitaranha.

O ponto de encontro é o Largo da Igreja de Galegos e a partida está marcada para as 9h. Mas antes disso, os participantes poderão provar as típicas migas de pão com carne de porco frita, acompanhadas de “café do contrabandista”.

PUB

As inscrições, que são gratuitas e incluem seguro, pequeno-almoço e reforço alimentar (abastecimentos aos quilómetros 3,5, 5 e 7), devem ser efectuadas até dia 5 Maio, no Posto de Turismo de Marvão (245 909 131 e turismo@cm-marvao.pt).

Os trilhos sinuosos da raia, outrora percorridos pelos contrabandistas na calada da noite, de forma a escapar às patrulhas de guardas-fiscais e “carabineros” que controlavam a fronteira entre os dois países, voltam a ser percorridos para se dar a conhecer uma zona de extraordinária beleza natural e paisagística.

A 7 de Maio, esta caminhada volta também a relembrar histórias e memórias que se perpetuaram no tempo e na cultura do povo raiano, para quem o contrabando desempenhou um papel fundamental para a sua sobrevivência, nos difíceis tempos das ditaduras portuguesa e espanhola.