Publicidade

Este sábado, o programa competitivo da grande festa do todo terreno nacional abriu com a BP Ultimate 4 Horas SSV Vila de Fronteira e os sempre espectaculares SSV. Uma prova que consagrou João Monteiro, com o português vencedor da edição 2018 a regressar assim aos triunfos, graças a um desempenho que lhe permitiu, inclusivamente, superar um princípio de incêndio no seu Can-Am X3.  

Foi o aperitivo perfeito para as 24 Horas, a prova cabeça de cartaz (com arranque marcado para as 14h00 deste sábado). Manhã cedo, a sempre espetacular categoria SSV abriu hostilidades, na BP Ultimate 4 Horas SSV Vila Fronteira, com as 34 equipas inscritas a retirarem máximo partido das excelentes condições do terródromo desenhado junto à carismática vila alentejana, e a brindarem o público presente com um festival de velocidade e resistência. 

No final, vitória do português João Monteiro, que, com um desempenho marcado pela rapidez e resistência, liderou a corrida durante mais de três horas, conquistando uma vantagem que lhe permitiu, inclusivamente, gerir um princípio de incêndio (paragem forçada de 40 segundos) e rodar 1 hora sem direção assistida. O piloto do Can-Am X3 terminou com uma volta de avanço para os segundos classificados, confirmando o seu regresso às vitórias, ele que já tinha conquistado a prova na edição de 2018. 

“A prova foi muito boa, apesar de alguns percalços. A pista estava dura, o que é normal nesta prova. Tivemos que gerir a máquina, mas o facto de a chuva não ter aparecido ajudou”, afirmou João Monteiro, piloto inscrito pela equipa Sharish Gin/South Racing. 

A luta pelo segundo lugar garantiu muita animação à corrida. A alternância foi permanente e foi preciso esperar pela última volta para a definição do pódio. Mas cumpridos os 240 minutos de prova, acabaria por ser o Can-AM X3 dividido por João Dias e Pedro Carvalho a assegurar a segunda posição, apesar de problemas técnicos que os fizeram perder cerca de quatro minutos). No derradeiro lugar do pódio terminou a tripla que conquistou a “pole position” (Sebastien Guyette, Fabrice Rousseau e Gonçalo Guerreiro) condicionada pelo facto de cumprir grande parte da prova apenas com tração traseira no Can-Am XRS. 

Bruno Martins (Can-Am X3), que também chegou a passar pela segunda posição, e a dupla constituída por Marco Pereira e Márcio Vieira (Can-Am Maverick) fecharam o “Top 5”, entre os 34 concorrentes classificados.