PUB

A pouco mais de um mês do arranque oficial do Campeonato do Mundo, a Selecção Nacional sub-18 de Andebol Feminino iniciou uma nova semana de trabalho com vista à grande competição, com um estágio que está a decorrer em Fronteira e durará até ao dia 4 de Julho.

«Este estágio terá algumas características particulares, uma vez que estamos condicionados com algumas lesões e algumas atletas que estão inseridas na convocatória das seniores para os Jogos do Mediterrâneo para ganharem experiência competitiva ao mais alto nível. Desta forma, abre-se a particularidade de observar mais atletas que estiveram fora dos estágios anteriores, mas que estão integradas na lista de 35 atletas para o Campeonato do Mundo. Teremos sete treinos de pavilhão e duas sessões de ginásio, que servirão para avaliar todas as atletas, observar a sua evolução e ainda alargar o conhecimento do nosso modelo de jogo a todas elas. Estamos a pouco mais de um mês do início do Mundial e é fundamental manter índices de trabalho elevados e o domínio da nossa forma de jogar, para que nos próximos estágios possamos ganhar rotinas e aplicar o trabalho em competição, no Torneio de Paredes, que se realizará já de 12 a 17 de Julho», refere o Seleccionador Nacional Luís Santos.

Este estágio em estágio em Fronteira vai ao encontro das ambições e dos esforços da Federação de Andebol de Portugal de expandir a modalidade a todo o território nacional, bem como a regiões como esta, em que a modalidade não tem a mesma expressão do que nos grandes centros urbanos. O líder da Selecção Nacional sub-18 Feminina salienta essa importância e o facto de este momento ser visto como uma possibilidade de fomentar o interesse pelo andebol em jovens e adultos desta região em particular.

PUB

«Visitar o Alentejo, em particular Fronteira, tem uma importância significativa para a descentralização do Andebol e para a motivação das jovens que estão afastadas dos grandes centros. Vamos promover uma actividade com a escola para aumentar a familiarização com a modalidade e motivar mais pessoas para a criação de equipas e, eventualmente, até clubes novos. Agradecimento especial à autarquia que nos tem demonstrado toda a colaboração e apoio para que as condições de trabalho sejam as melhores», afirma.