Após três dias consecutivos de buscas, a Divisão Policial de Elvas conseguiu interceptar e deter o homem que, na sexta, dia 30, ao final da tarde, numa das artérias da cidade, terá atropelado e agredido a sua ex-companheira, colocando-se, de imediato, em fuga para parte incerta.

A PSP relata que após a notícia, recebida por volta das 22horas, de que uma mulher havia sido alvo de atropelamento e agressões, quando caminhava com os seus dois filhos menores pela rua, os meios policiais foram imediatamente acionados para o local. «Aí chegados, apuraram que se tratava de mais um caso de violência doméstica, uma vez que o suspeito das agressões – um homem de 48 anos, natural de e residente em Elvas, que se havia, entretanto, colocado em fuga e deixado a vítima prostrada no solo – era o seu ex-companheiro e pai das duas crianças menores que a acompanhavam».

Depois de acionados os meios de emergência médica e transportada a vítima e os seus dois filhos para o Hospital de Santa Luzia, em Elvas, onde recebeu tratamento, desenvolveram-se não só as necessárias acções de recolha de prova, como se montou, de imediato, um forte dispositivo de busca para tentar localizar e deter o suspeito, o que veio finalmente a acontecer ontem, 3 de Maio, pelas 15h, numa das artérias da cidade.

Resultante de diligências efectuadas após a sua detenção, a PSP conseguiu apreender ao suspeito um «verdadeiro arsenal de armas», que se encontravam na sua residência, entre outros objectos, nomeadamente um petardo; uma pistola semi-automática de calibre 6.35mm, duas pistolas de alarme de calibre 8mm – uma das quais transformada para uso de munição real de calibre 6.35mm, uma pistola de ar comprimido de calibre 4.5mm, duas armas longas de ar comprimido de calibre 4.5mm, 25 cartuchos de calibre 12ga, 66 munições de calibre 6.35mm, 21 munições de calibre .22lr, dois bastões, um dos quais extensível, 15 facas, cinco das quais de abertura automática, uma faca de remate, dois punhais, quatro espadas e quatro sabres.

O detido, que não possui qualquer licença para uso e porte de arma, pernoitou em cela de detenção e será presente a primeiro interrogatório judicial hoje para eventual aplicação de medidas de coação.

O Comando Distrital de Portalegre da Polícia de Segurança Pública espera que, com a detenção do suspeito e a apreensão do armamento em questão, tenha podido evitar um desfecho ainda mais trágico não só para a vítima, como para os seus próprios filhos menores.