PUB

Foram ontem detidos, durante uma operação da Polícia Judiciária com a colaboração da GNR em Campo Maior e Monforte, dois homens e uma mulher por suspeita da autoria de burlas através da plataforma de pagamento electrónico MBway, deu a conhecer fonte policial através da Lusa.

Os bairros de São Sebastião, em Campo Maior, e do Rossio, em Monforte, foram cercados pelas autoridades policiais e realizaram-se «buscas em quase todas as casas», informou fonte policial.

Esta operação da PJ de combate ao cibercrime, nomeadamente às burlas através da aplicação MBWay, decorreu em várias zonas do País e mobilizou cerca de 300 inspectores da PJ e militares da GNR, tendo envolvido a realização de 50 buscas nas zonas de Campo Maior, Monforte e Avis, no distrito de Portalegre, mas também em Loures (Lisboa), Almeirim (Santarém) e Figueira da Foz (Coimbra).

PUB

As buscas foram realizadas no âmbito de «várias dezenas de inquéritos» no contexto dos quais se investigam alegados crimes de burlas através da aplicação MBway, cujo valor ainda está a ser calculado, cometidas desde 2019 e até hoje.

Os três detidos, todos na casa dos 30 anos, vão agora ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coacção.

A operação da PJ contou, no Alto Alentejo, com a colaboração da GNR através do Comando Territorial de Portalegre e da Unidade de Intervenção. Fonte do Comando de Portalegre da GNR confirmou à Lusa o apoio prestado a esta operação policial, que envolveu, neste distrito, 161 militares e 12 binómios cinotécnicos (homem/cão) da Guarda.