PUB

Um caso insólito ocorreu na quinta-feira, como o nosso jornal soube ao final dessa manhã.

Um doente residente em Arronches, internado no Serviço de Cirurgia do Hospital de Portalegre, por lapso certamente administrativo foi dado como falecido.

O suposto falecimento foi comunicado aos familiares, em Arronches, nomeadamente ao filho que procedeu à contratação de agência funerária que desenvolveu os procedimentos para o funeral, tendo sido inclusive aberto o respectivo coval no cemitério.

Foram também informados familiares no estrangeiro e é-nos dito que um desses familiares se preparava para voar dos Estados Unidos para Portugal para participar nas cerimónias fúnebres.

Entretanto quando a agência funerária se preparava para levantar o corpo do falecido na morgue do Hospital, onde também se encontravam familiares… afinal não existia o corpo do falecido… que se mantinha internado segundo o normal protocolo hospitalar.

Naturalmente que se gerou uma confusão burocrática, para além de todos os inconvenientes e problemas decorrentes da situação, com a documentação do óbito e do funeral tratadas.

O Hospital terá pedido desculpa aos envolvidos e oficiosamente foi-nos confirmado o facto mas ainda não conseguimos obter uma declaração da Direcção Clínica, que continuamos a aguardar.

Pub