PUB

A Câmara Municipal vai investir cerca de um milhão de euros nas obras de ampliação e requalificação do cemitério e da casa mortuária do Crato, estando o início das intervenções previsto para o início do próximo ano.

O projecto de arquitectura já foi adjudicado e terá uma nova casa mortuária, novas zonas de sepulturas e um espaço novo para ossários.
A maqueta animada está disponível nas redes sociais do município e nela se pode visionar o alargamento do espaço do actual cemitério e a solução engenhosa encontrada para fazer frente à necessidade de espaço. «Mas não um espaço qualquer: para a autarquia foi sempre importante encontrar uma forma de fazer frente a esta necessidade urgente, mas de uma forma condigna, harmoniosa, que transmita uma mensagem de valorização de todos os entes queridos que perdemos. Um espaço  de acolhimento e de introspeção, que acolhesse todos os credos de forma ecuménica», refere o comunicado da autarquia.

O cemitério enquadra-se em três espaços bem distintos, o primeiro, a casa mortuária, o segundo a zona das sepulturas, elencadas em duas fases, e o terceiro, o espaço dos ossários. A casa mortuária está concebida num espaço dividido em duas  zonas bem distintas: uma maior, que dispõem de um pequeno altar, com o seu púlpito anexo, proporcionando a realização do culto religioso de acordo com a tradição católica instituída. O outro espaço menor e sem símbolos de caracter religioso, «criado para que se possa assumir um maior respeito por aqueles que partiram e que assumidamente decidiram não professar qualquer credo», como refere o arquitecto Manuel João Fonseca, autor do projecto. 

PUB

A zona das sepulturas propriamente ditas enquadram-se em duas fases, a primeira que assume 89 campas e a segunda 102,  totalizando 191 campas. Por último, o ossário será constituído, numa primeira fase, para a colocação de cerca de 100 depositários.
«O projecto irá contemplar um conjunto de elementos arquitectónicos únicos, nomeadamente três Anjos da Guarda dispostos harmoniosamente, contendo uma mensagem que pode ser interpretável da seguinte forma: Um anjo na entrada, à porta,  outro sentado lendo um livro na companhia de uma figura que interpreta o Espírito Santo e outro altaneiro que assume a proteção de todos os visitantes. Passado e Futuro, Tradição e Inovação são as palavras de ordem deste projecto que se manifesta quer esteticamente, quer estruturalmente», descreve a Câmara.