O Grupo Jerónimo Martins vai investir cerca de 11 milhões de euros em Portugal na atribuição de um prémio extraordinário a 23 mil colaboradores das operações (lojas e centros de distribuição), que será pago com o salário do mês de Abril.

Em comunicado, o Grupo refere que «este prémio pretende reconhecer o trabalho e o contributo destes colaboradores para os resultados obtidos num ano tão desafiante como foi 2020», sendo atribuído também na Polónia e na Colômbia, num total de cerca de 80.100 colaboradores do Grupo abrangidos.

Em Portugal, 84% dos colaboradores elegíveis vão receber este prémio individual no valor de 500 euros, que acumula com a remuneração variável mensal em vigor e com os vários programas e acções de apoio aos colaboradores nas dimensões da saúde, da educação e do bem-estar familiar. Em 2020, o Grupo investiu, só em Portugal, mais de 3,2 milhões de euros nestes programas de responsabilidade social que visam auxiliar os colaboradores.

Na área da saúde, foram alocados 830 mil euros a iniciativas como os programas SOS Dentista e SOS Dentista Júnior, que apoiam o acesso dos colaboradores e dos seus filhos a prestadores de saúde oral, representando um investimento anual superior a 320 mil euros. Outros exemplos são o Programa Mais Vida – uma parceria com a Fundação Champalimaud e com a Cruz Vermelha Portuguesa para apoiar colaboradores e familiares directos com doença oncológica – e o protocolo com o Grupo Lusíadas para o acesso a consultas de especialidade a preços mais competitivos.

Na área da educação, que absorveu mais de 540 mil euros, houve uma adaptação dos apoios às necessidades resultantes da pandemia. Assim, o Grupo investiu, em Portugal, um valor superior a 200 mil euros na aquisição de mais de 900 equipamentos (computadores e tablets) para que os filhos dos colaboradores pudessem assegurar a presença e participação nas aulas em regime online. Foi também desenvolvida a iniciativa Espaço de Estudo online com o objectivo de apoiar no estudo os filhos dos colaboradores, através da disponibilização de explicações nas disciplinas nucleares de Português Matemática e Inglês, bem como de actividades didácticas. Destaque ainda para a atribuição de mais de 100 bolsas de estudo a colaboradores e/ou seus filhos que não tenham tido acesso a bolsa estatal, o que correspondeu a um investimento superior a 130 mil euros.

Finalmente, e no que diz respeito à dimensão do bem-estar familiar, foram investidos cerca de 1,8 milhões de euros em Portugal, designadamente no reforço do Fundo de Emergência Social para fazer face à crise social e económica em Portugal. Através deste fundo, foram apoiados em 2020 mais de 1.100 colaboradores, num investimento de 1,1 milhões de euros, 20% acima do realizado em 2019.

O Grupo Jerónimo Martins emprega em Portugal mais de 33 mil colaboradores, número que ascende a 118 mil no total dos três países onde está presente.

A atribuição deste prémio anual faz-se por aprovação do Conselho de Administração de Jerónimo Martins da proposta apresentada pelo seu Presidente, Pedro Soares dos Santos, e traduz-se num investimento global de cerca de 50 milhões de euros, o que equivale a aproximadamente 16% do resultado líquido de 2020.

Em Portugal, este é o 15º ano consecutivo em que que este prémio extraordinário é atribuído aos colaboradores das operações. Nos últimos cinco anos (2017 – 2021), o investimento acumulado ultrapassou os 45 milhões de euros no país, e os 190 milhões no conjunto dos três países (Portugal, Polónia e Colômbia).

Recorde-se que o Grupo Jerónimo Martins se instalou em Portalegre em 2018, ano em que iniciou a actividade de uma nova unidade fabril, localizada na Zona Industrial, para produção de leite, natas e manteigas, num investimento que permitiu mais que duplicar a capacidade de produção da Serraleite, adquirida em 2015.